sexta-feira, novembro 26, 2004

Congresso do PCP

Decorrem hoje, no Pavilhão de Desportos de Almada, os trabalhos do XVII Congresso do PCP. Um dos principais interesses deste congresso centra-se na subsituição de Carlos Carvalhas por Jerónimo de Sousa, no cargo de secretário-geral do partido.

Jerónimo de Sousa é alguém a quem se poderá chamar um verdadeiro comunista, um homem que trabalhou no duro desde miúdo e que - talvez por isso mesmo - nunca faltou uma única vez ao “trabalho” enquanto foi deputado, ao contrário de muita boa gentinha (ou gentalha) que pulula lá pelo hemiciclo de S.Bento. Isto ilustra bem o carácter determinado e disciplinado deste antigo operário natural da aldeia de Pirescôxe, Santa Iria de Azóia.

Mas, muito sinceramente, não acho que Jerónimo de Sousa seja a figura certa para comandar um partido comunista nos dias de hoje. Eu sei que o PCP não ganharia muitos mais votos pelo facto de ir para lá uma figura como Carvalho da Silva ou como Barata Moura... não seria por isso que, eleitoralmente, os portugueses passariam a interessar-se muito mais pelo PCP. Mas, pelo menos, o PCP conseguiria manter a força eleitoral (e social) que ainda tem, em vez de se auto-condenar a uma gradual perda de influência na sociedade portuguesa.

Em termos eleitorais, quem vai ganhar com este "fechamento" do PC sobre si próprio é o BE e, até mesmo, o PS. Tenho para mim que isto é mau. Tal como o Benfica no panorama do futebol nacional, um PCP forte e mobilizador faz falta à democracia e, acima de tudo, às classes mais desfavorecidas deste país que - cada vez menos - têm quem as defenda de forma consequente.

1 Comments:

At 1:24 da tarde, Blogger randomblog said...

Tem toda a razão.

 

Enviar um comentário

<< Home

Site Meter